Sarau Apoema

Apoema
O Sarau Apoema Livre  é uma evento cultural que acontece periodicamente no Eldorado, em Contagem, desde 2013. As primeiras edições aconteceram no Butiquim até se transferir para a praça do antigo coreto, na esquina das ruas Norberto Mayer e da avenida João César de Oliveira, onde antes havia o Motoshopp. O local é hoje também conhecido como Praça do Apoema.

Nasceu com intuito de criar mais pontos de referência cultural, fomentando o encontros e as relações de troca e vivencias em torno do universo artístico. O sarau promove discursos livres e propõe temas que tratam da diversidade artística da cidade e do mundo com a presença de diversos poetas e admiradores, além de diversas outras manifestações artísticas.


Apoema Sarau Livre
Hora extra é poesia!

Entre a forja do operário e a trova do poeta surge o Apoema, um sarau que anseia pelo verdadeiro significado da palavra livre. Talvez seja ela, a palavra, que nos possibilite um olhar além; além da poluição, além da alienação do trabalho que move a cidade de Contagem, que dorme.

Apoema, que do Tupi Guarani significa aquele que vê longe, aqui em nossa cidade assume um significado de urgência, de unir as vozes contra o silêncio do coronelismo político que cega a população com promessas que endurecem a sensibilidade. A sensibilidade sequestrada de cada dia, nas fábricas, nos Oásis industriais que produzem riquezas e contradições sociais.

1513213_668872329824611_1152184375_nApoema é o grito sutil e singelo, mas que revela a necessidade de um olhar livre da fumaça que não nos deixa enxergar o ser humano, que a cada dia se encontra mais embrutecido. Na solidez das coisas existem relações escondidas, tempo de vidas perdidas. Há suor humano em meio ao ferro fundido em nossa cidade. De maneira sutil, mas com a força da palavra e da poesia é possível resinificar tudo que se solidifica, Tudo que é solido pode desmanchar-se no ar – seja o olhar que não se lança além das aparências, ou ilusões criadas para justificar o passo à esmo do homem em busca de ilusões.

Melhor seria caminhar (A)poema!

Ainda que sutil, este sarau pretende ser um ensaio de relações possíveis, em um mundo que nos lança ao avesso das relações humanas e nos faz acreditar no encontro com o outro mediado por mercadorias. Ainda que singelo e mínimo, Apoema é ao menos uma busca de colocar a palavra a serviço da ativação de um olhar que vê além de um tempo que se configura como morto.


Fontes: