A Conexão

“Uma ideia surge do tudo, do todo. Um ideia surge do tudo, do nada…”


Bora pro Rock!

Nos idos dos anos 80, início dos 90, aconteceu em Contagem um movimento cultural denominado Conexão Contagem Alternativa. Era a união de 4 das mais atuantes bandas de rock da cidade que se ajudavam mutuamente buscando um lugar ao sol: A Urbi Et Orbi, a Paz Armada, O Cartel de Medelum e a Ato Rebys. Mais tarde, com o fim da Paz Armada, a Outubro Vermelho passa a integrar o grupo.

Existem vários ângulos para se entender o processo pelo qual foi concebida a ideia da Conexão Contagem Alternativa. Antes, havia grupos que se desconheciam e trabalhavam separadamente em seus projetos individuais. Culpa do acaso, sorte, flerte, destino… não sabemos como tudo aconteceu ao certo. Certo mesmo é que nos encontramos e nos apaixonamos pela ideia de nos juntar. Ufa! Que bom! O após são as histórias… e que histórias!

Com uma legião de amigos/fãs, essa trupe caminhou e cantou por um bom tempo por estas terras das abóboras e, inclusive, derramou-se sobre suas margens, levando o rock de Contagem por várias cidades mineiras. Após muitos anos, e depois de uma árdua coleta de material referente à época, chegou a hora de contar nossa história a uma cena pobre e com fome de cultura. Quem viveu vai, com certeza, se deliciar com estas inesquecíveis lembranças. E quem por lá não esteve, saibam que existimos, sim senhor!



Projeto Documentário CCA

O projeto do documentário sobre a Conexão contagem Alternativa ganha força com diversas colaborações de inúmeras pessoas que possuem algum material da época. Quer participar? Então entre em contato conosco e saiba como. Você vai ajudar a contar uma linda história do rock!


Videoclipe da banda Urbi Et Orbi

Clipe da Banda Urbi Et Orbi de 1991 gravado no Contagem Tênis Clube de Contagem além de outros conhecidos locais da cidade. Roteiro e direção de elenco de Gesner Perion Avancini.


Obs.: Caso queira colaborar corrigindo ou enriquecendo este conteúdo, entre em contato com contato@conexaocontagemalternativa.com.br ou através do Formulário de Contato.



Era mais uma tarde na esquina das ruas Rio Tibre e Mantiqueira no Novo Riacho, onde sempre nos encontrávamos pra bater papo e tocar violão. Aquilo era quase uma religião, esse encontro diário. A Paz Armada também já ensaiava seus primeiros acordes num barraco nos fundos da casa do Sr. Evaldo, pai do Erivan. Naquele dia, entretanto, um amigo, o Guto, passou de moto, parrou, me chamou e disse que havia uma banda de uns amigos dele que estavam com um show marcado e que o baixista ia fazer uma cirurgia na mesma data. Eles precisavam de um substituto para o show.
-Você topa?
-Claro!
Era a Urbi Et Orbi, no caso.
Eu não tinha praticamente nenhuma experiência mas não podia perder a oportunidade de subir ao palco. Dois ensaios depois fizemos o show e a amizade da qual muitos outros encontros aconteceram até a formação da Conexão.

Por Anderson Ribeiro Paz Armada e urbi Et Orbi


Em meados de 1987e 88 ( acho que é está a data) a veia “rock roll ” pulsava de forma muito forte no meu coração. Em casa eu escutava muitas bandas e era leitor assíduo da revista Bizz lembram? Contava nos dedos o dia em que ela ia chegar nas bancas! A cena rock’n’roll no Brasil da época não precisa nem falar pois todos já sabem! E este jovem aqui (na época) como muitos também queria ter uma banda, só que não achava esta turma pra tocar.  Em um belo dia de sábado monótono, um outro jovem que enamorava minha querida irmã me falou de uns parentes que tinham uma banda e me perguntou se eu estava disponível para ir ao ensaio dos mesmos naquele dia! Aceitei o convite. Coloquei a jaqueta, o chapéu na cabeça, amarrei o coturno e fomos pra lá. Fui bem recebido pelos caras, eles tocavam uma música instrumental que se chamava “ousadia” que achei um “somzão”. Logo em seguida veio o fatídico convite para cantar uma música com eles porque o vocalista não tinha ido. Perguntaram qual música eu saberia cantar com eles e fomos de “Tempos perdido” da Legião Urbana. Foi um casamento imediato. Me perguntaram se eu queria tocar com eles e fui “nas nuvens”. Uhuuu! Tenho uma banda de rock’n’roll! Viramos amigos pra valer! Começamos ensaiando e apareceu a idéia de fazermos o primeiro show no bar da dona Jussara , nosso point no bairro Monte Castelo. Dali em diante uma historia começou a ser escrita em relação a banda que mais a tarde recebeu o nome de Urbi Et Orbi! Até aqui, por enquanto! Com direito a continuação desta estória!

Por João Cláudio Urbi Et Orbi


10675583_551769931626076_455480306708476550_n